Aldo Pereira

A missão de "Maria"

Por Aldo Pereira há 2 meses

Tão logo desencarnou, este ser elevado iniciou uma nova missão junto aos recém convertidos ao cristianismo, auxiliando-os nas provas que tiveram que passar. 

Tão profundo e profícuo foi o seu trabalho que este ser acabou sendo escolhido por Deus e Cristo para comandar o processo de reforma do planeta e da religião. Desde o início do século XX, Maria vem organizando as “forças” encarnadas e desencarnadas que estão trabalhando para que o sentido da encarnação no planeta Terra seja alterado. Este processo se iniciou com as “Mensagens de Maria”, ou seja, com a aparição de espíritos elevados a encarnados trazendo mensagens que a comandante do processo de reforma do planeta enviava. Maria, espírito universalizado, não poderia ela mesmo fazer as aparições sob pena de ofender a matéria que os seres do planeta Terra habitam.

Em todas as mensagens deixadas sempre houve um pedido especial feito por estes mensageiros em nome de Maria: a conversão. O ser que comanda a renovação planetária sempre pediu a todos que estão encarnados que promovam a sua conversão, mas jamais determinou que se convertessem para uma determinada religião. O pedido é que todos abandonem os “falsos ídolos” e se convertam para Deus Único, Ser Supremo do Universo.

Ao longo dos milênios, as religiões transformaram cada mestre que trouxe os ensinamentos seguidos por elas, bem como os missionários que vieram ao planeta em ídolos e esqueceram de ensinar a “constituição universal”: amar a Deus sobre todas as coisas. É para este texto legal universal que Maria pede a conversão. A evolução do ser depende de seguir fielmente a “constituição universal”. É chegada a hora da conversão para o Pai e o abandono da adoração aos ídolos. Como Jesus nos ensinou, aos mestres devemos respeito, mas adorar só ao Pai. O trabalho do “exército da conversão” comandado por Maria é relembrar os ensinamentos trazidos por todos os mestres, mostrando que todos ensinaram a amar a Deus acima de todas as coisas.

IRMÃO ANDRÉ.

Espiritualismo ecumênico universal