Aldo Pereira

Caridade é mais, muito mais.

Por Aldo Pereira há 4 dias

Quando começamos a frequentar um centro, igreja ou templo, somos tocados pela necessidade da caridade. Isso é pregado por praticamente todos os palestrantes, padres e pastores. Assim com frequência o "exercício" da caridade é feito com a compra de cartões de feijoada, filé ou na participação junto a entidades. Iniciativas importantes e necessárias, mas "esquecem" de te avisar qual é a verdadeira caridade pregada por Cristo e como se deve entender a caridade. Tomando iniciativas "caridosas" com o objetivo de ir para o céu, conquistar elevação espiritual, já significa um "fracasso". Está fazendo com um objetivo. Para receber algo em troca. Como diz o espirito da verdade: O ato é nada, a intenção tudo. Se a intenção é ganhar, mesmo sendo algo espiritual, o ato é nulo. Já ganhou. O mesmo espírito da verdade responde de forma clara a verdadeira caridade nessa pergunta de Kardec:

Qual o verdadeiro sentido da palavra caridade,como a entendia Jesus?

— Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições alheias, perdão das ofensas.

Não existe nenhum problema na ajuda material, nas doações, nos trabalhos voluntários, inclusive a mediunidade, mas se faltar benevolência, indulgência e perdão, não é caridade. Pode ser qualquer coisa. Pode até ser caridade para o ego humano, mas não é a caridade pregada por Cristo.

Como a caridade pregada machuca o ego, conflita com oque a sociedade prega, nos apegamos naquilo que ela aplaude. Se for caridoso, como ensina Cristo, será chamado de bobão, apático, negligente com os problemas e nesse caso, muitos viram as costas para Deus, para encarar a sociedade de frente. Ou seja, sacrifica o eterno pelo perecível. Leiam as bem aventuranças. 

Um abraço.