Aldo Pereira

Como interagir com espíritos.

Por Aldo Pereira há 6 meses

Os espíritos com os quais lidam neste mundo são todos iguais a você. São seres que estão ligados ao mundo humanizado e por isso existem dentro da mesma faixa vibratória. Por isso a lida com eles não pode ser feita dentro da excepcionalidade. O relacionamento com os seres que não estão ligados a uma matéria densa deve ser o mesmo que se tem com aqueles que são percebidos indistintamente. Se eles choram, deve se consolá-los; se reclamam, deve se ouvir suas reclamações. Nada de excepcional precisa ser feito nestas relações. Isso é algo que vocês precisam entender, pois da forma com que convivem hoje com os espíritos, acabam ficando sem saber o que fazer nestas relações e por isso vivem o medo ou a contrariedade durante estes contatos. Se um espírito chega até você e lhe traz uma mensagem, só ele pode explicar o quis dizer com ela. Por isso, pergunte, questione, converse sobre o assunto. Se não fizer isso viverá a dúvida sobre o que foi dito. Pior: irá querer resolver sozinho o que o espírito quis dizer e com isso pode gerar uma interpretação errônea que acabará lhe desviando do que foi avisado. Por isso, se o espírito lhe diz que chegou a hora, responda: ‘chegou? Está bem. Agora, o que vai acontecer? O que você espera que eu faça neste momento? Me explique, por favor. Estou aqui para lhe ouvir e conversar sobre o assunto’. Todos os seres que possuem atividades mediúnicas onde não conseguem estabelecer com quem estão se relacionando sentem medo. Por isso quero aproveitar esta oportunidade e falar uma coisa: tenham medo dos vivos e não dos mortos. Nenhum espírito desencarnado pode lhe fazer mal. Sabe porquê? Porque vocês são filhos de Deus. Ora, se vocês têm filhos, não vão protege-los, não cuidarão para que nenhum mal lhes aconteça? Se vocês fazem isso, imaginam que Deus, que é o nosso Pai, vai lhes expor ao perigo desnecessariamente? Acham que Ele não lhes protegerá?

Espiritualismo ecumênico universal