Aldo Pereira

Faça por você.

Por Aldo Pereira há 2 meses

Tem muita gente que decora ensinamentos e assume a postura de mestre e a partir de qualquer coisa que o outro faça ou fala diz: ‘você está errado, eu sei a verdade’. Só que não se ajuda ninguém ensinando alguma coisa, porque nenhum encarnado tem uma resposta absoluta para dar os outros. Mesmo que tivesse, isso não garantiria que o outro acreditasse. Por isso, é preciso deixar que os outros cheguem às suas própria respostas. Para isso é preciso que não haja um mestre. As respostas que cada um chega são obtidas através da observação dos outros. Por isso, digo: se quer ajudar alguém, faça por você. Aliás, elevação espiritual, em termos humanos, é uma atitude individualista. Só quando estiver buscando para si poderá ajudar alguém, pois assim estará exemplificando ao invés de ensinando. Essa é a grande diferença. Quer ajudar alguém? Exemplifique o ensinamento que quer passar para aquela pessoa e a deixe ela captar o cainho para a felicidade.

Participante: então o ditado correto seria: quando o aluno está pronto o mestre desaparece?

Mais do que o mestre desaparece: quando o aluno está pronto, o próprio ensinamento desaparece.

Já disse por diversas vezes que vocês precisam ter atenção plena para reconhecer que a sua mente está em contrariedade com o agora porque desejaria ter um presente diferente. Isso é um ensinamento. Na hora que estiverem prontos, ou seja, na hora que interiorizarem o que ouvirão, nem se lembrarão do ensinamento. Nesse momento fará automaticamente, ou seja, sem se lembrar que há um ensinamento para ser posto em prática.

Então, sim, na hora que o aluno está pronto, o mestre e o ensinamento somem.

Espiritualismo ecumênico universal