Aldo Pereira

“o que esperais já veio”

Por Aldo Pereira há 2 meses

Viver no novo mundo é não impor condições para a utilização de sentimentos, mas utilizá-los constantemente em tudo o que ocorrer. É preciso não haver condições específicas para que o amor seja utilizado. Aquele que adquire este conhecimento aprende que é ele quem determina o sentimento com o qual quer reagir aos acontecimentos. Quando o espírito junta este conhecimento à entrega completa a Deus (fé), sabe que só poderá optar pelo amor, pois uma fonte de Amor Sublime não poderá produzir o mal, que a Justiça Perfeita não será capaz de premiar um e desmerecer outro e que uma Inteligência Suprema não poderá cometer erros. Com esta convicção e confiança, o espírito sabe que pode reagir a tudo com amor, não importando o que esteja acontecendo. Quando agir desta forma nada mais lhe causará transtornos ou desconfortos e encontrará a harmonia; nada será capaz de lhe contrariar e encontrará a paz; nada lhe causará sofrimentos e será realmente feliz.

A entrada no novo mundo não depende da “sorte” de um espírito estar ou não encarnado em determinada época do planeta, mas pode ser feita em qualquer encarnação, a qualquer momento. Depende exclusivamente de cada um promover a sua própria reforma íntima, abandonar a visão de ser humano e voltar a ser o espírito que sempre foi. Para promover esta reforma é necessário quebrar os conceitos e para isto é preciso a fé em Deus e na sua Providência em abastecer cada um e ao próprio Universo com o amor universal. Este sentimento sempre esteve à disposição dos espíritos em qualquer densidade material que habitem e por isso Jesus afirma que o novo mundo já se encontra sobre o planeta: nós é que não sabemos.

Espiritualismo ecumênico universal