Espiritualismo

O TIJOLINHO

Por Espiritualismo há 3 anos

Sabe o que é “viver” materialmente falando? É como se tivesse sido mandado para um prédio imenso de trinta andares, cheio de apartamentos, com a finalidade de demoli-lo. Só que você só tem um martelinho para trabalhar.

Viver é isso: é você de martelinho quebrando pedacinho a pedacinho do prédio das verdades que construiu antes de encarnar.

Além disso, é preciso compreender que durante a vida cada vez que para tirar o suor do rosto, ou seja, a cada segundo que não dá uma martelada coloca outro tijolo, ou seja, uma nova verdade. Isto é viver a vida carnal no sentido espiritual.

Você está lá com o seu martelinho quebrando suas paredes e em determinado momento, cansado do trabalho que está realizando coloca o martelo do lado para descansar e quando olha de volta a parede já o engoliu novamente.

Tudo no que acredita é o ego que lhe diz, mesmo que você considere estas coisas como benéficas para você. Passear, ir para o campo, viver o final de semana onde não há trabalho, a sensação de ter sido aprovado em um concurso, etc. Sabe o que é tudo isto? É ilusão. É assentar mais um tijolinho na parede do seu prédio.

Para poder se trabalhar com afinco sem jamais parar de martelar e reconhecer que mesmo nestes momentos precisamos continuar o processo de demolição, precisamos é saber o que queremos: destruir ou assentar.

O grande problema da vida não é construir, colocar mais tijolos na construção, pois Deus dá ao espírito o direito dele não evoluir, mas ser hipócrita: destruir de noite e construir de dia. Não avança nem retroage. Ou seja, é tempo jogado fora.

A encarnação há muito tempo tem sido jogada fora. A oportunidade de vitória sobre o ego, ou seja, quebrar as paredes têm sido jogada fora em troca do prazer do “ser” e “estar”, em troca da obediência as leis do planeta, para ficar famoso como ser humano: isto é importante para quem está “vivo” e buscando a Deus se lembrar.

Sabe de uma coisa: aqueles que viveram neste planeta antes, em gerações anteriores, não são outros homens nem outros espíritos que deixaram de aproveitar a oportunidade para a reforma íntima, mas nós mesmos, com outras personalidades, com outros egos, com outros carmas.

Não foi ninguém diferente que fez o planeta do jeito que está, mas cada um de nós o criou do jeito que está encarnado e desencarnado nele por centenas de vezes.

Esta consciência deve lhe levar a preocupar-se em começar a trabalhar já. Ou será que ainda esperará voltar a encarnar no futuro e acusar você mesmo de não ter feito nada para que o planeta Terra evoluísse?

Alguns são fortes e quando batem na parede caem três tijolos de uma vez, outros são sábios, acham o ponto certo e o prédio cai de uma vez, mas a grande maioria precisa bater constantemente para quebrar a parede.

Por isto, amigos, agora que já sabem que sua vida não é obra do “acaso” nem de reações biológicas, mas uma oportunidade de provação espiritual; agora que já conhecem a escravidão ao ego como instrumento desta provação, preparem-se para mudar.

Lutem contra tudo aquilo que acreditam ser real e verdadeiro e destruam o prédio que moram (sua vida) para poder entrar no universo, na comunhão universal com Deus.