Aldo Pereira

Ser médium é prova

Por Aldo Pereira há 10 meses

Quem se preocupa apenas em ajudar a acabar com a dor de um ser humanizado não o ajuda verdadeiramente, pois não o ensina a não ter mais a dor.

O médium que só tira a dor daquele que lhe procura é o que quer ter aquela pessoa sempre no seu trabalho mediúnico para que ele ganhe individualmente. É aquele que quer seguidor, adorador, bajulador.

No trabalho, mesmo sobre o aspecto material, muito mais importante do que se ocupar em acabar com uma dor é ensinar o ser a não ter mais dores. Além do mais, aquele que busca apenas eliminar a dor não vive as premissas para o trabalho mediúnico.

O médium não faz nada: é apenas instrumento para a Justiça de Deus acontecer. Portanto, quem se ocupa em apenas tirar a dor não vê que está querendo agir por moto próprio. Além do mais, pode estar agindo de maneira vã, pois a dor só sairá se aquele consulente merecer.

Se o ser humanizado que busca ajuda merecer ter a dor, nenhum médium ou equipe mediúnica poderá acabar com ela. Se não merecer, o fim dela acontecerá, independente da ação do médium ou da equipe. Sendo isso verdade, porque, então, se ocupar em apenas tirar a dor?

Mas, se de nada adianta a ocupação de eliminar a dor, como podemos ajudar aquele ser? Auxiliando-o a não mais merecer ter a dor.

Espiritualismo ecumênico universal.