Aldo Pereira

Você quer ser feliz ou ter razão?

Por Aldo Pereira há 23 horas

Quanto valor dão à felicidade? Qual o valor real que dão ao estar em paz, harmonia, tranquilos? Acho que nenhum, pois por qualquer coisa jogam fora a paz, a tranquilidade e harmonia. Por que? Porque o ser humano joga tudo fora por qualquer coisa?

Por que o ser humano é dominador por natureza. Você não se contenta em conviver com outra pessoa: acha que tem que dominá-la. Quer esmagar nela o desejo e a vontade, porque são diferentes dos que possui. O outro tem que fazer o que você quer, tem que ser do jeito que você gosta, se arrumar com a roupa que você quer, limpar a casa do jeito que você quer. Diante de tantas obrigações, se não dominá-lo, domá-lo, não conseguirá saciar tantos desejos. É por isso que quer sempre dominar os outros.

Tem pessoas que não conseguem ser dominadas e por isso você não consegue conviver com elas. Quando diz para alguém que deve agir de determinada forma e ela lhe contrapõe, você sai de perto e não quer mais saber dela. Porquê? Para não correr o risco de ser dominado.

Você quer ser feliz ou ter razão? 

Quer ser feliz ou quer a sua razão prevaleça sobre o outro? Você escolhe o que quer viver.

Só é ruim engolir sapos para quem acha mais importante não engoli-los do que ser feliz. Quem acha mais importante ser feliz do que engolir sapo, engole a todos e ainda por cima sorri.

Espiritualismo ecumênico universal

Aldo Pereira

Todos são livres.

Por Aldo Pereira há 1 dia

Qual o objetivo da vida que Deus dá a cada um? Ser feliz. A vida foi criada para que os seres encarnados vivam felizes. Infelizmente, essa é a única coisa que não fazem enquanto estão vivos. Saem pelo mundo cobrando tudo de todos, exigindo dos outros e da vida que sejam de determinada forma. Na verdade, sabe o que fazem da vida? Sabe o que fazem com o dom que Deus lhes deu? Um instrumento de tortura para vocês e para os outros.

Já pensou ouvir todo dia cinco, seis, ou até sete vezes a cobrança do porque não arrumou a casa do jeito que o outro quer? Não acha que isso é uma tortura? Já pensou ouvir todo dia que não arrumou as coisas como os outros querem e que por isso você não presta?

Quem criou a vida do jeito que vocês vivem não foi o Pai, mas aqueles que colocaram Deus como salvador da pátria. Fizeram isso para que dependessem de alguma coisa para serem felizes.

Eles criaram todo um sistema competitivo sabendo que ninguém ganha sempre. Desta forma, passa a existir a contrariedade e com isso Deus passa a ser o salvador da pátria, o super-herói que existe apenas para lhe defender. Quando a vida lhes dá a submissão aos seus desejos, se apegam nos intermediários entre o Senhor e vocês. Faça o que quiser fazer, mas não aceite a contrariedade pelo que os outros fazem. Não aceite a culpa por haver diferenças entre você e os outros.

Espiritualismo ecumênico universal

*Amar o próximo é deixar que ele seja do jeito que é. É deixar que faça o que faz. Você pode até não concordar com ele, mas dá a ele a liberdade de ser. 

Aldo Pereira

"E a vida me levando"

Por Aldo Pereira há 4 dias

A vida humana é o teste do espírito, é uma encarnação, é a prova do ser universal. É por este motivo que ela existe com a função de gerar atritos entre você e os acontecimentos que cria. É por isso que quando algo acontece contrário ao que quer, ela expande a ideia de existir uma contrariedade. Mais: aproveita para acusar aquele que agiu de forma contrária ao seu desejo. Diz que agiu propositalmente para lhe ferir, porque não gosta de você, porque não liga para o que você quer. Ela expande a contrariedade criando um inimigo para que aceite essa intencionalidade do outro e se contrarie mais. Portanto, para poder viver sem sofrimento você tem que observar a vida, mas precisa fazer isso com uma condição: liberto do que a vida está falando. Este é o primeiro detalhe para aquele que quer se preparar para a vida: ir além do que a vida está falando. Ter consciência dos valores que a vida dá ao que está acontecendo: é isso que estou chamando em observar a vida. Aquele que se prepara é quem ouve o que a vida diz, mas não aceita o que é dito. Ele vai além do que a vida está dizendo.

Espiritualismo ecumênico universal

Aldo Pereira

A bíblia.

Por Aldo Pereira há 5 dias

A bíblia é a história das encarnações no planeta terra. Ela começa lá no pecado capital, mostrando a origem do processo de reencarnação, até então o espírito vivia no mundo espiritual, chamado jardim do Éden. A partir daí começam a ocorrer as encarnações no mundo de provas e expiações, naquilo que vocês chamam de planeta terra. Esse processo tem ciclos. Começa e acaba, começa e acaba. Sempre no mundo de provas e expiações. São sete ciclos. Cada uma das catástrofes da bíblia, são resumo de um ciclo. Chuva, arca de noé, dilúvio, esquece. Tudo isso é sentido figurado. Apenas historinhas. O importante é você saber que ciclos de encarnação se encerraram e outros surgiram. Agora estamos no sétimo e último ciclo, mas não vai acabar a vida aqui. Ela vai passar a existir de um novo jeito, onde a terra passa a mundo de regeneração. A bíblia ainda trás no Apocalipse, a história do fim dos tempos. O fim dos tempos não é o fim do mundo, mas somente o fim do modo humano de vida. Os espíritos que encarnam neste ciclo, não mais se reconhecem humanos e sim espíritos vivenciando encarnação, sem perder a consciência espiritual. Hoje vocês não tem essa consciência. Ela está sob o véu do esquecimento.

Joaquim de Aruanda.

Aldo Pereira

Só na terra existe sofrimento

Por Aldo Pereira há 6 dias

Agora, por favor, quando estou falando em sofrimento, não estou me referindo a sofrer a dor de perder uma mãe ou qualquer outro ente querido. Não é só isso. Não estou me referindo às dores que consideram grandes, mas a todo o momento onde o ser humanizado vive uma contrariedade. Criticando essa pessoa porque ele está com uma camisa sem mangas, por exemplo, você já está sofrendo.

O sofrimento que só existe aqui se caracteriza quando há uma contrariedade. Tudo que lhe traz faz sentir-se contrariado é um sofrimento. Sofrer é viver uma contrariedade e isso é anormal no universo. Fora desse planeta, os seres não vivem contrariedades.

A partir dessa informação posso começar a responder àquela pessoa que me perguntou por que a pressa em realizar essa conversa. Nos dias de hoje, o parafuso que causa a contrariedade está sendo cada dia mais apertado. Desde o final do ano passado que estou dizendo isso e a partir de agora a coisa vai piorar. Diria que o sistema humano de vida está esgotado, não tem mais como existir. Aliás, o próprio papa outro dia falou que nem o capitalismo nem o comunismo são alternativas para a vida humana, pois os dois se baseiam no mesmo princípio.

É preciso começar a criar uma nova forma de viver, pois esta já ficou provada que dá não dá certo. Vocês vão entender o porquê disso mais à frente na nossa conversa.

Viver contrariedades: este é o grande problema da forma humana de existir e por causa dela é que digo que vocês vivem uma vida anormal.

Espiritualismo ecumênico universal

Aldo Pereira

Sonho é uma lembrança.

Por Aldo Pereira há 1 semana

Devido à dificuldade maior da missão dos espíritos que encarnam na forma humana, Deus criou um artifício para facilitar sua missão: o sono. Quando o ser humano adormece, seu corpo continua a funcionar e ele (espírito) liberta-se desta prisão carnal e continua a sua existência espiritual fora da carne. Esta vida que o espírito terá fora da carne dependerá do seu grau de evolução espiritual. Caso esteja ele na busca da elevação espiritual, poderá encontrar mentores para estudo, energização ou missões e poderá participar ativamente da vida fora da carne. Se, no entanto, não estiver nesta busca, continuará a vida material sem perceber que seu corpo está dormindo e que ele está utilizando um corpo mais volátil (perispírito).

Por este motivo é muito comum espíritos fora da carne sentados na cama fora de seus corpos físicos, continuando uma discussão iniciada antes de dormir... Outros espíritos vão a lugares distantes e diversos para “tomar satisfação” de espíritos com os quais tenham tido qualquer tipo de mágoa naquele dia ou em outros. Assim, a vida continua a mesma e ainda facilitada pela libertação do espírito da matéria densa. Esta existência passa-se no que é conhecido pela ciência como inconsciente do ser humano. Tudo o que o espírito faz ou participa fica ali registrado.

Para que o espírito lembre-se dos acontecimentos do momento do sono, é necessário que estas lembranças alcancem o consciente, ou seja, a memória utilizada por ele na vida carnal.

Sempre que há necessidade desta lembrança para a evolução do espírito, o plano espiritual comanda esta transferência de mensagem. Entretanto, para que não exista uma confirmação material da vida espiritual para aqueles que não têm fé, estas lembranças ficam como se o espírito houvesse tido um “sonho”. Sonho, portanto, é a lembrança da vida fora da carne que o espírito vive diariamente enquanto o corpo permanece em repouso. Para explicar melhor esta questão, transcrevemos abaixo palestra do amigo Zytos (instrutor espiritual deste grupamento) proferida em 17/05/2000:

Espiritualismo ecumênico universal

Aldo Pereira

“o que esperais já veio”

Por Aldo Pereira há 1 semana

Viver no novo mundo é não impor condições para a utilização de sentimentos, mas utilizá-los constantemente em tudo o que ocorrer. É preciso não haver condições específicas para que o amor seja utilizado. Aquele que adquire este conhecimento aprende que é ele quem determina o sentimento com o qual quer reagir aos acontecimentos. Quando o espírito junta este conhecimento à entrega completa a Deus (fé), sabe que só poderá optar pelo amor, pois uma fonte de Amor Sublime não poderá produzir o mal, que a Justiça Perfeita não será capaz de premiar um e desmerecer outro e que uma Inteligência Suprema não poderá cometer erros. Com esta convicção e confiança, o espírito sabe que pode reagir a tudo com amor, não importando o que esteja acontecendo. Quando agir desta forma nada mais lhe causará transtornos ou desconfortos e encontrará a harmonia; nada será capaz de lhe contrariar e encontrará a paz; nada lhe causará sofrimentos e será realmente feliz.

A entrada no novo mundo não depende da “sorte” de um espírito estar ou não encarnado em determinada época do planeta, mas pode ser feita em qualquer encarnação, a qualquer momento. Depende exclusivamente de cada um promover a sua própria reforma íntima, abandonar a visão de ser humano e voltar a ser o espírito que sempre foi. Para promover esta reforma é necessário quebrar os conceitos e para isto é preciso a fé em Deus e na sua Providência em abastecer cada um e ao próprio Universo com o amor universal. Este sentimento sempre esteve à disposição dos espíritos em qualquer densidade material que habitem e por isso Jesus afirma que o novo mundo já se encontra sobre o planeta: nós é que não sabemos.

Espiritualismo ecumênico universal

Aldo Pereira

Escolhendo o caminho.

Por Aldo Pereira há 1 semana

Nenhum espírito pode ter como objetivo de vida o sucesso material e o sucesso espiritual. É preciso que ele escolha uma das duas coisas. A vida humana não pode ser compreendida como uma existência material com passagens espirituais, sem que se ponha em risco a elevação espiritual. É necessário que o espírito tenha a consciência de que ele tem uma vida espiritual com passagens materiais, para que ele consiga alcançar o sucesso na sua vida carnal (evolução espiritual). Para isso é necessário que ele abdique do sucesso material. Não se está fazendo apologia da pobreza, do abandono das coisas materiais, mas sim daquilo que é sucesso material para o ser humano. Este sucesso, para o ser humano, não é medido pelas realizações que ele alcança, mas pela concretização do seu “querer”. O sucesso material para o ser humano não é conseguir comprar uma casa, mas sim realizar o seu “sonho”, o seu objetivo, o seu desejo. Servir a Deus é não ter desejos que precisem ser concretizados para que o espírito alcance a felicidade. Alcançar o sucesso espiritual é ser feliz com qualquer que seja a situação de vida do espírito. Quem serve a Deus reconhece a sua incapacidade para gerir sua vida, em virtude do “véu do esquecimento” que “cobre” sua memória quando encarna. Tem fé, ou seja, confiança e entrega absoluta nas mãos de Deus e sabe que Ele o proverá de tudo o que precisar para atingir a evolução espiritual. Aquele que apenas deseja coisas materiais, sem considerar se elas são as mais adequadas para o seu avanço espiritual, deixa de servir a Deus e passa a servir apenas a si mesmo.

As informações passadas pela espiritualidade depois de Kardec sempre afirmam que o espírito na hora de encarnar pede muitas provas, pois tem a consciência da importância da evolução espiritual. Entretanto, estas mesmas informações dizem que durante a vida muitas destas provas não são aplicadas para que o espírito não “piore” a sua situação.

Espiritualismo ecumênico universal

Aldo Pereira

Elevar-se é viver universalmente.

Por Aldo Pereira há 2 semanas

Não adianta um espírito reencarnar várias vezes, pois isto não o levará à elevação. Reformando-se em uma delas é que encerrará este processo. O espírito deve aproveitar a encarnação em que se encontra, buscando esclarecimentos e nela promovendo a reforma de seus sentimentos, alterando os seus conceitos, para poder alcançar as verdades universais. Postergar esta reforma é gerar mais trabalho para a espiritualidade que terá que “programar” toda uma nova existência para este espírito poder buscar a reforma íntima. Aqueles que crêem que apenas as reencarnações sucessivas garantem a sua elevação, estão adiando esta reforma. A razão da existência do espírito é buscar a ciência, ou seja, o conhecimento das verdades espirituais, sem utilizar os sentimentos negativos. Não existe mais nada que ele precise fazer e por isto, esta deve ser também a sua única pretensão enquanto na carne. O espírito não habita uma carne para realizar coisas, mas apenas para provar a Deus que é capaz de ter apenas o amor universal como sentimento.

Viver com o objetivo de buscar o conhecimento para realizar-se profissionalmente, construir uma família, ter posses, é viver como ser humano. O único objetivo do espírito é procurar o amor universal e praticá-lo: o resto lhe será concedido por Deus. Esta alteração de objetivos de vida é que garante ao espírito a “escolha” de Jesus. Para isto não são necessárias diversas encarnações, apenas uma

Espiritualismo ecumênico universal

Aldo Pereira

A justiça em ação

Por Aldo Pereira há 2 semanas

Todo espírito tem o direito de sentir o que quiser, mesmo que não use o amor universal. Com base no sentimento que o espírito busca para reagir a um determinado acontecimento é que Deus lhe dará um pensamento que o levará a praticar um ato. Se um ser humano nutre raiva por outro, Deus lhe dará um pensamento para que ele pratique atos que espelhem esta raiva. Porém, para manter esta justiça suprema, Deus fará com que os pensamentos sejam canalizados para seres humanos que, por nutrirem sentimentos iguais, mereçam receber este sentimento de raiva e o ato conseqüente dele. Aquele que nutre raiva não conseguirá praticar atos contra quem não mereça ou não precise recebê-los não havendo, assim, a injustiça. Assim é a ação de Deus para promover a justiça suprema em todas as coisas.

Se um espírito merece, pelos seus sentimentos, receber atos que espelhem estes sentimentos, Deus providenciará para que os espíritos se encontrem e um dê ao outro o que merecem. Isto é justiça, mas como o ser humano não vê a ação de Deus e imagina que o pensamento é seu, acredita também que pode fazer o que quer, quando quiser...

 “Imaginamos injustamente que a ação dos Espíritos não deve se manifestar senão por fenômenos extraordinários. Quiséramos que nos viessem ajudar por meio de milagres e nós os representamos sempre armados de uma varinha mágica. Não é assim; eis porque sua intervenção nos parece oculta e o que se faz com seu concurso nos parece muito natural. Assim, por exemplo, eles provocarão a reunião de duas pessoas que parecerão reencontrar por acaso; eles inspirarão a alguém o pensamento de passar por tal lugar; eles chamarão a atenção sobre tal ponto, se isso deve causar o resultado que querem obter; de tal sorte que o homem, não crendo seguir senão seu próprio impulso, conserva sempre seu livre arbítrio”. (Livro dos Espíritos – Comentários à pergunta 525).

O ensinamento é antigo, mas o ser humano ainda continua esperando que os espíritos apareçam apenas para realizar coisas “sobrenaturais”. Na verdade, os espíritos estão constantemente ao lado dos espíritos encarnados transmitindo, por ordem de Deus, um raciocínio compatível com o seu sentimento e direcionando este pensamento para praticar os atos decorrentes dele em quem precise e mereça sofrer estes atos.

Espiritualismo ecumênico universal