Marcio Eduardo

Justiça Individual

Por Marcio Eduardo há 1 mês

Vivemos em um tempo onde cada vez mais pessoas se unem para defender idéias contrárias a outros grupos. Então se eu concordo contigo, eu estou contigo e não com aqueles que não concordam com a gente. E quando a gente não concorda com a família, com os líderes, com o amigo, é melhor nem tocar no assunto. Parece que tudo isso começou quando uma mãe percebeu a importância de manter o filho vivo, com saúde, e seguro até que ele pudesse se cuidar sozinho, os mamíferos são mais assim. O macho protege sua prole, com isso se prende ao circulo amoroso, e quando ele percebe que alguém faz mal a sua família, luta por justiça. E essa atitude vem se proliferando pelas vias mentais do ser humano, onde tudo que importa é cumprir seus objetivos pessoais. Suas ideias, são o seu maior tesouro, porque foram geradas dentro da sua cabeça, são suas próprias percepções e assim ele as protege. Porque onde já se viu alguém sem rumo, que não sabe o que quer? Fica parecendo um doente mental, que não liga pra mãe, nem pro pai ou os filhos, não é? Então é isso, a mente humana luta por justiça individual desde os primórdios dos primórdios, e esta raiz penetra por milhares de quilômetros dentro do ego humano. Antes era só pra defender a família, e hoje, pelos mesmos motivos egoístas, pra defender ideias.

Marcio Eduardo

O Verdadeiro Sentimento

Por Marcio Eduardo há 1 mês

A vida não existe só pra satisfazer. Se aborrecer, também faz parte. Em uma discussão também está a vida manifestada. Na hora do aperto, é vida pulsando. É ela que pensa coisas do tipo: Ah, mas eu não queria! Isso é um absurdo! Vai pra longe de mim azar! Me deixa em paz! É ela que se pergunta porque essa coisa toda foi acontecer, e é ela que afirma que não deveria ser assim. Depois é ela que procura sair dessa, buscando paz nos intervalos das vicissitudes. Ela é o observador, observando a observação. Mas quem nós somos de verdade, a vida não consegue explicar, ela nem faz ideia, o que ela consegue, é compreender que por trás de tanta grandiosidade, existe algo maior, que se expande para além desses horizontes, e esse é o verdadeiro sentimento que a vida pode expressar.

Marcio Eduardo

Com o coração protegido

Por Marcio Eduardo há 8 meses

O tempo cura, a dor cicatriza, parece que o tempo disfarça o acontecido para que um dia, a gente olhe como se fosse algo normal.

Depois de um tempo é comum passar a conviver com a situação apenas na memória, com o coração protegido das emoções que o atingiram na época.

Enquanto isso não acontece, o tempo vai trazer a tona o que aconteceu, remoendo a dor para que ela se dissolva. Pra isso é importante não perder o foco, e deixar o tempo fazer o trabalho dele sem dar crédito aos julgamentos que se formam pela construção dos pensamentos.

Marcio Eduardo

Placas Luminosas

Por Marcio Eduardo há 1 ano

Os ensinamentos são placas, colocadas em nosso campo de visão, para atualizar o ser que por si segue o caminho. É como se fosse um GPS de segurança pra que a rota não se perca. Os ensinamentos nos falam de formas diferentes a cada momento, como que recalculasse a rota e apresentasse uma nova visão dos fatos. Aquele que pode se reconhecer como ser universal não está preocupado, porque sabe que o dia e a hora pertence a Inteligência Suprema. Querer adiantar qualquer coisa, mesmo que seja a reforma íntima, ou seja, ter a intenção de fazer o que as placas indicam, é uma dança ludica com a ânsia de ser um iluminado. Mas Iluminado só existe um, porque está repleto de lâmpadas que dançam dentro dele desfrutando do seu amor.

Marcio Eduardo

Metamorfose Ambulante

Por Marcio Eduardo há 1 ano

Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante. Mas não é tão simples assim, nem sei se é uma opção. Eu sei que ter uma opinião formada é diferente de ser apresentado a um pensamento gerador de opinião. Uma ideia pode mudar no momento seguinte, diferente de uma opinião formada, que pode gerar convicção. Assim como, se deseja que o dia seja ensolarado para ir a praia no dia que pode chover, ou como se espera que cora tudo bem na viagem que pode ser turbulenta, se interagirmos com o mundo dessa forma, possivelmente vamos querer refazer o mesmo caminho com as nossos conceitos formados. Querer que o outro aceite, mesmo que não expressado verbalmente, a nossa "humilde" opinião, é como querer que a chuva não caia no dia em que deviria fazer sol (em nossa modesta opinião). Conforme vamos percebendo essas infantilidades cotidianas (sem medo de continuar a ser infantil, sem culpa por ter tido uma opinião ou um desejo, sem aumentar mais o sofrimento), observando o nosso comportamento em relação a essas situações, pode ser que deixemos de possuir aquela velha opinião formada sobre tudo.

Deve ser porque a gente começa a perceber que quase sempre alguém vai discordar de nossas opiniões, e que quase tudo que a gente quer (99%), não acontece, ou acontece o não esperado.

Marcio Eduardo

O que importa

Por Marcio Eduardo há 1 ano

O mais importante é viver o que tem pra viver, sendo assim, o que precisava ser feito já está pronto. Quem recebe o presente de bom grado, não tem o trabalho nem de desembrulhar. E é ali que o presenteado encontra todo o conteúdo necessário para a plenitude do ser, estar e fazer o que quiser! E como todos são presenteados o tempo todo, cada um tem que dar conta de ver o que recebeu.

Marcio Eduardo

Diagnóstico de um sofredor

Por Marcio Eduardo há 1 ano

Uma das características do sofrimento é a contrariedade, negar aquilo que está acontecendo para viver um sonho baseado em outra realidade. Mas esse comportamento não pode ser fundamentado em atos e nem em pensamentos porque essa parte é imutável, o que aconteceu não poderia ser de outra forma. Logo, se fosse traduzido em atos, o sofrimento não poderia ser uma responsabilidade nossa. O sofrer então está além do que podemos explicar, e pode ser confundido com diversas percepções ilusórias, com conotações pejorativas e energias negativas, onde na Realidade podemos estar até sorrindo, vai saber... Afinal qual é a graça de entrar no parque dos horrores e não se divertir?

Marcio Eduardo

Viver o sonho

Por Marcio Eduardo há 1 ano

O que existe é uma oportunidade de conhecer quem realmente somos, de amadurecer espiritualmente e de compreender a vida. Quando um imaturo é assaltado por exemplo, vai lamentar os bens que foram tirados dele, vai desejar a prisão do ladrão, e vai culpar o governo por não dar segurança pra população. sem perceber que essa é uma ótima oportunidade pra compreender que isso tudo que está sendo proposto é um sonho, já que os bens foram tirados dele, o ladrão está solto, e o governo não fez nada pra impedir.

Marcio Eduardo

A gente respeita

Por Marcio Eduardo há 1 ano

A ideia que tudo que foi dito ou escrito pelo ser humano nessa terra é apenas a sombra de alguma coisa que ainda não foi descoberta, e pelo que parece, tal feito nunca será alcançado por nenhum de nós. Se existe um ser único e absoluto, somente Ele poderia saber Quem Ele É, O Que Ele Faz e Como Ele Faz. Assim como não temos a capacidade de saber quem verdadeiramente são os outros, o que eles fazem e como eles fazem. Eu sou casado a 10 anos, convivo com a minha esposa todos os dias e até hoje não sei o que realmente ela pensa, nem o que passa no coração dela, e as vezes nem ela sabe. E talvez Ele também se encontra nesse mesmo Processo de Auto Conhecimento. Ou talvez como a gente, que apenas vive as realidades criadas pelo universo. Mas essa é a minha opinião. Pra mim, um personagem da internet. É só isso que existe - a vida e suas paixões. Mas essa é apenas mais uma opinião, e não tem problema nenhum pra ninguém esse personagem pensar assim, assim como não tem problema nenhum Ele Fazer O Que Ele Quiser. Se Ele é mesmo o conjunto de coisas que existem no universo, a opinião dele a gente respeita. 

Marcio Eduardo

Festa de arromba

Por Marcio Eduardo há 1 ano

A dinâmica do universo se parece com uma festa muito louca, onde acontece de tudo, e que a gente vai por conta própria. Chegando no local da festa a pessoa toma uma droga que a deixa tão chapada a ponto de não lembra de mais nada. E ai alguns como eu ficam procurando o responsável para exigir explicações. A gente não consegue encontrar o idealizador, mas sabe que ele existe pela magnitude do evento, então reclamamos com o nada pra tentar aliviar a pressão, sabendo que não adianta, que por isso as coisas não vão mudar, porque foi assinado um termo de responsabilidade e a festa vai continuar até o amanhecer.