Milton Fiorillo

A ILUSÃO DA VIDA

Por Milton Fiorillo há 8 meses

Procure representar bem o seu papel.
Compreenda a ilusão da vida.
Quando assistimos a um bom filme , embora sabendo que os atores estão representando um papel e vivendo uma situação fictícia, nós nos emocionamos com a apresentação.
Sentimos alegria , raiva, tristeza,medo e torcemos para os acontecimentos terem o rumo desejado. Saímos do cinema e voltamos para a vida real.
Assim é a vida aqui na Terra; como um filme, todos nós representamos um papel seguindo um roteiro.
Mas não somos esses personagens , apesar da representação.
Nosso verdadeiro ser vive em outra dimensão , além da ilusão da matéria. 
Muita Paz!

Milton Fiorillo

A MORTE DE JESUS

Por Milton Fiorillo há 8 meses

Nos momentos que antecederam a crucificação de Jesus, sabedor que era do que lhe deveria acontecer, e da forma como iria acontecer, percebendo a aproximação de Judas lhe falou, "vá amigo, faça logo o que tem que fazer". Daí em diante, todos conhecemos a história em que o beijo denunciou ao contraventor que a justiça procurava.

Este mesmo mestre, que por vezes ensinou que "não devemos julgar para não ser julgado", tem em muitos de seu ditos seguidores, que "malham o Judas" até hoje, acusando-o de traidor, e o culpado pela morte de Jesus na cruz. Engraçado é que são dois pesos e duas medidas. Quando Judas se aproximou com os soldados romanos, Pedro sacou da espada, resolvido a proteger o seu Senhor, ao que Jesus reagiu dizendo, "achas que não tomarei até o último gole do meu cálice?"  Com Simão Pedro, a humanidade foi mais branda, dando-lhe em segmento religioso, o título de fundador e patrono, sendo que ele negou o mestre por três vezes. Mas o ser humanizado, com a sua compaixão e piedade, sentiu as dores de Jesus, considerando que o que Deus teria programado para ele como missão, foi um sacrilégio. Mais uma vez, a humanidade negando a causa primária, a inteligência suprema e esquecendo que se Jesus tivesse morrido de uma doença qualquer, idoso e no fundo de uma cama a humanidade não o lembraria como lembra hoje. Lembra mais da sua morte e "sofrimento", do que dos seus ensinos e exemplos. Penso que foi na morte e crucificação que o mestre manteve seus ensinamentos vivos até hoje, embora mal compreendidos. Jesus foi uma encarnação e espírito não tem nome gente. Não adianta ficar a pedir ajuda a Ele, para livrar-se de provas que o espírito que está ligado a você, pediu. Ele não pode lhe ajudar, pode sim lhe servir de mestre, modelo e guia e, só vivendo como ele viveu chegaremos a Deus e a bem-aventurança prometida por Ele.

A crucificação de Jesus Cristo foi o apogeu de uma missão entregue por Deus, e cumprida com perfeição. "Achas que não tomarei até o último gole do meu cálice?"

Espiritualismo Ecumênico Universal

Milton Fiorillo

INGRATIDÃO

Por Milton Fiorillo há 8 meses

Como lidar com os ingratos?

Não esperar gratidão de ninguém!

Como disse o Chico de Assis, "consolar mais que ser consolado".

O que é a gratidão senão um carma, uma prova que Deus lhe oferece para amá-lo acima de todas as coisas. Uma oportunidade de amar ao próximo (ingrato) como a si mesmo, conforme o mestre ensinou há dois mil anos, quando na terra esteve, ou seja de esperar algo em troca. Não ver erro naquele que se demonstra ingrato, não ter a intenção da gratidão alheia.

Vale lembrar também, que quando fazemos algo para outrem, esperando uma retribuição, mesmo que esta retribuição seja um gesto de gratidão, existiu nesta ação a intencionalidade e quando isso acontece, o único beneficiado é quem recebeu auxílio, e não aquele que ofereceu.

Vale lembrar que Deus não aceita propina, e caridade não é moeda de troca. Faça quando tiver que fazer, se achar que deve, se fizer; mas não espere nada em troca, nem da terra, muito menos do "céu"!

Espiritualismo Ecumênico Universal

Milton Fiorillo

AMAR É:

Por Milton Fiorillo há 8 meses

Amar é:

Conversando com alguém que troca ideias comigo sobre espiritualismo, me vem o questionamento: "você me diz nas entrelinhas que não sei amar. Como fazer algo que não conheço?"

Primeiro é saber que amar não é fazer ou dar carinho, sentir atração ou simpatia por algo ou alguém, falar belas palavras em elogio etc. Amar é: permitir ao outro ser, estar e fazer sem julgamentos e condenações, ou seja: respeito!

Você não vai aprender a amar, mas a desaprender a ter raiva, a julgar e condenar atos alheios, ganhar sempre impondo suas verdades e desrespeitar as do outro. O espírito já ama, pois o amor é a única coisa real no Universo, o  que se faz necessário é o amor crístico ensinado por Jesus, como por exemplo "dê a outra face, perdoe 70x7, atire a primeira pedra quem não tiver pecado e outros mais.

Em O Livro dos Espíritos na questão 886, Allan Kardec pergunta ao Espírito da Verdade, como Jesus entende a caridade. A resposta surpreende aqueles que sabem e ouvem nos estudos da doutrina que "fora da caridade não há salvação". "Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições alheias e perdão das ofensas". Benevolência é ter boa vontade para com o próximo, não falo de boa vontade em doar coisas materiais, isso é fácil; mas de ser indulgente e de perdoar. Indulgência é retirar a acusação, que de pronto é estabelecida pela mente através dos conceitos arquivados de certo e errado que o sistema humano de vida nos passa. Perdão é de preferência não ver erros, pois Deus é a causa primária de todas as coisas, a inteligência suprema, onipotente, onipresente, oniciente, que dá a cada um segundo suas obras, com justiça perfeita e amor sublime. Sendo assim não há nada de errado no campo de provas que é a Terra.

Por que eu tenho que questionar à Deus invés de amá-lo? Por que devo julgar ao próximo, se é ele quem me dá a oportunidade de amar, fornecendo-me as provas?

Lembre-se que amor e caridade são sinônimos. Sem a caridade, não haverá reforma íntima e um aproveitamento melhor nas provas desta edição, ou seja o personagem humano ao qual o espírito, quem realmente você é, está ligado. Ele que é eterno, o personagem é temporário!

Ame, amar e amar!

Espiritualismo Ecumênico Universal

Milton Fiorillo

RELIGARE

Por Milton Fiorillo há 8 meses

Desde há muito tempo, nas relações sociais as pessoas tem a preocupação de saber qual a nossa religião, e essa preocupação tem haver com o fato de que nos dão valor pelo nosso rótulo religioso. Elas se identificam ou não conosco, em razão da nossa profissão de fé. Daí então, as religiões passaram a separar as pessoas. Do mesmo modo que existe o rico e o pobre, o branco e o negro, também passou-se a ter a divisão em função das religiões. Se o indivíduo for da religião a, b, ou c, se for de uma religião tradicionalista, ele tem uma aceitação na sociedade. Se pertencer a uma religião menos ortodoxa, menos conhecida, possivelmente pagará algum tipo de onus nesse relacionamento social. Seja onus da descrença, da zombaria etc... A religião pesa, e não devia, na vida social das pessoas.

O que deve ser a nossa religião?

Buscar a divindade em nós, ligar-se a Deus, e essa busca, só pode ser feita através do nosso semelhante. É daí então que descobriremos que muita gente que vive direto em  templos, igrejas, centros, sinagogas e outras congregações, é materialista, quando não atéia, porque tem na busca da religião, apenas seu culto externo, tem o culto religioso apenas na aparência e não na sua intimidade.

Madre Tereza juntou anciões nos lixos de Calcutá, e um deles no seu momento de últimos suspiros, em seus braços lhe perguntou: "Qual a religião da senhora?" Ela respondeu: Minha religião é você! Nossa religião dessa forma, precisa se adequar ao espírito religioso, pois grande número de vezes, adotamos a postura religiosista que busca as exterioridades da crença, o lado social da crença, as roupas, as festas, os encontros... Há criaturas que frequentam determinadas crenças por causa disto, deixam de atender ao preceito maior da religião, que é o amar a Deus acima de tudo, e ao nosso próximo como a nós mesmos.

A nossa religião deve ser uma religião que nos amadureça e não nos infantilize, nos leve demonstrações de que aquilo que agente crê é verdade.

O que é que eu estou buscando na minha crença?

Raul Teixeira

Milton Fiorillo

EGO E MENTE SÃO SINÔNIMOS

Por Milton Fiorillo há 9 meses

O ego é um conjunto de informações que definem o eu.

Quer saber o que é o ego?

Olhe-se no espelho.

O ego consegue fazer você crer que ele é você.

Pergunto: quem é você e a resposta é: fulano!

Você tem braços, tem pernas?

Como o espírito não tem braços e pernas, ou seja, não tem forma, esses membros são do ego.

Existe um você que é humano (ego) e outro que é alguma coisa que você não sabe o que é. Este último é o que chamamos de espírito, e a questão 23 de O Livro dos Espíritos nos diz que o espírito para nós humanos é nada, para nós (espíritos) é alguma coisa.

O que é você humano?

É a própria vida. Não existe um elemento vivendo uma vida, mas uma vida se apresentando a você que não sabe quem é.

O que será que Sócrates quis dizer com o seu "conheça-te a ti mesmo" e com a máxima "tudo que sei é que nada sei" Teria alguma relação em conhecer o ser real que é o espírito eterno e não o ser humanizado? Ou ainda que o saber humano de certo e errado, feio e bonito, faz dele um juiz a julgar a tudo e a todos, mesmo sabendo que Deus é a causa primária de todas as coisas e que o mestre ensinou "não julgueis para não ser julgado"?

Há, quem é você mesmo? O ser eterno e imortal, ou o personagem temporário material?

Espiritualismo Ecumênico Universal

Milton Fiorillo

VAMPIRIZAÇÃO E OBSESSÃO

Por Milton Fiorillo há 9 meses

Em O Livro dos Espíritos, na questão 475 Kardec pergunta ao Espírito da Verdade se é possível por si mesmo, afastar os "maus espíritos" e se libertar da sua dominação;  recebe a resposta de que "pode-se sempre sacudir um jugo, quando se tem vontade firme", ou seja vai depender da vontade de Deus em primeiro lugar, e de uma firme e determinante mudança na forma de pensar os pensamentos, voltando-se para o seu interior e mudando o foco.

É que os espíritos se alimentam de uma coisa chamada energia, que na Terra chamamos de emoções ou sentimentos. Os espíritos "comem" sentimentos, assim como os humanos comem comida.

Lembrando que pensamentos e atos são nos dados por Deus de acordo com as provas solicitadas pelo espírito na programação da encarnação, (vide 258) trabalho este executado pela espiritualidade. Busque desqualificar os negativos, transformando-os em positivos. Não é só procurar a seção de desobsseção, convidando-o a retirar-se. é preciso um trabalho consigo mesmo. 

Suas companhias dependem do "alimento" que você oferece aos visitantes do espaço.

Paz e bem!

Espiritualismo Ecumênico Universal

 

Milton Fiorillo

AS CINCO VERDADES UNIVERSAIS

Por Milton Fiorillo há 9 meses

Não existe o ser humano: eu sou um espírito.
O planeta Terra é um mundo espiritual.
O espírito vem à carne fazer provas.
A prova é de conhecimento e prática do Amor Universal.
Todo ato do ser humano é comandado por Deus na sua forma, de acordo com aquilo que foi pedido pelo espírito antes da sua encarnação.

Espiritualismo Ecumênico Universal

Milton Fiorillo

O QUE A MENTE FAZ COM O ESPÍRITO

Por Milton Fiorillo há 9 meses

Primeiro lhe traz prazer, logo depois o sofrer. Ela é o tentador, podemos dizer, o diabo.

O que lhe faz sofrer é não aceitar o que está acontecendo. Você não sofre porque está acontecendo isso ou aquilo, mas porque não aceita o que está acontecendo, simplesmente porque o que está acontecendo lhe impede em seus planos humanos, de ser, estar e fazer...

Você não é deus da sua vida!

Não queira resolver a vida. Viva a vida como ela é, e como Deus a faz. A mente vai lhe apresentar sofrimento,  gerando contrariedades e para isso ela foi programada.

Agora que você já sabe que ela é o tentador, precisa considerar as suas propostas egoístas, individualistas. Aprender a ouvir a mente. Voltar-se mais para dentro de si.  Não apegar-se a ideias. Tornar-se introspectivo, ouvir, pensar o pensamento.

Se a mente está me fazendo de vítima, será isso bom para o espírito que está ligado a mim? Quando  a mente me diz que estou feliz porque ganhei algo, logo em seguida vai me tornar infeliz me dizendo que falta algo mais...

Esta mais que na hora de pensar o pensamento. A mente humana é egoísta por Natureza, para que sejamos submetidos as provas de que o espírito eterno necessita.

Espiritualismo ecumênico Universal

Milton Fiorillo

A VERDADE É DUAL

Por Milton Fiorillo há 9 meses

Entre os religiosos é comum ouvir que " a minha religião é a melhor ". Isso é uma verdade! Sim, é porque cada personalidade tem a sua verdade, e o dever cristão nos diz que devemos, amar, ou seja, respeitar a verdade alheia, e em alguns muitos casos, doar-lhes a razão.

Além disto, convém lembrar que existem dois tipos de verdades: a relativa, e a absoluta.

Relativa: só é verdadeira para você e por um determinado tempo.

Absoluta: Universal e eterna, vale para tudo e para todos e nunca vai ser mudada. A relativa o indivíduo acredita nela por enquanto; é passível de mudança.

O eu é formado apenas de verdades relativas, e não existem duas personalidades iguais. Não existem duas pessoas que tenham em seus conceitos as mesmas verdades, e nenhuma personalidade que tenha tido a mesma verdade a vida inteira. Portanto, somos humanamente falando, um conjunto de verdades relativas e não absolutas.

Entendendo isso, poderemos conviver harmoniosamente com os diferentes, evitando divisões separatistas e conquistando a tão sonhada paz entre irmãos de todos os credos e costumes.

Paz e bem!

Espiritualismo Ecumênico Universal