Denn Pires

Deus pai no meu ponto de vista!

Por Denn Pires há 1 semana

Deus pai no meu ponto de vista!

Deus pai é um grande espirito muito bondoso. Ele ama de verdade o seus filhos e filhas. Deus pai que o bem dos seus filhos e filhas. Deus pai sempre ajudou os seus filhos e filhas na caminhada da vida. Deus pai sempre falou com seus filhos e filhas e mostrou o caminho certo da evolução. Deus pai criou a grande família sagrada. Deus pai sempre protegeu os filhos e filhas contra o Diabo e seus Demônios. Deus pai sempre mandou os nossos irmãos anjos para proteger e guia-nos no caminho certa da paz, amor, felicidade ,etc.

 Deus pai é vida, paz, amor, compreensão, inteligência, justiça, caridade suprema, ...onipotência, onipresença, onisciência, verdade universal. Deus pai é a expressão da vida, Deus pai é a dinâmica da vida. Deus pai é a unidade que se revela todos os dias quando nos procuramos ele na caminhada da vida.

Deus pai sempre comunica com seus filhos e filhas através de sinais. Mais mesmo assim os nossos irmãos e irmãs não dar valor os pequenos sinais que nosso Deus pai mostra para eles. Quando uma rosa bonita abri para vc é Deus pai falando que te ama muito. Quando vc olha um céu lindo! É Deus falando para vc! Eu fiz um céu lindo hj para vc que possa sentir o meu amor de pai dentro do seu coração. etc.

Mais as pessoas estão esquecendo-se do nosso Deus pai. As pessoas não acredita em nossos Deus pai. As pessoas estão dando valor ao poder e o dinheiro ou riquezas, maldade, guerras, traição no casamento, às drogas, corrupção, venerar o Diabo e seus soldados, destruí casamento dos irmãos e irmãs, etc.

As pessoas estão jogo fora o amor do nosso Deus pai. Deus pai fica muito triste quando uns filhos e filhas falam que não amo mais ele. Deus pai fica muito triste quando vê seus filhos guerreando entre se. Deus pai fica muito triste quando o esposo trai a sua esposa. Deus pai fica muito triste quando a esposa trai o seu esposo, Deus pai fica muito triste quando vê os seus filhos mandando os seus irmãos. Deus pai fica muito triste ver a humanidade destruindo a terra, etc.

A humanidade esta perdendo a pureza do seu coração. A terra linda e pura que nosso Deus pai fez esta ficando a cada dia mais violenta e destruída. As pessoas não dar mais valor mais o amor da família sagrada e abençoada por nosso Deus pai; etc.

A humanidade esta cultivando o pecado e venerando o Lúcifer (Diabo) e seus soldados. A humanidade tem que entender que o pecado tem afetado todos os aspectos do nosso ser. Isso afetou a nossa vida na terra e o nosso destino eterno. A humanidade preferiu cultivar o pecado que cultiva o amor do nosso Deus pai. A humanidade cada dia esta sendo cruel com as pessoas que preferi cultiva o amor do nosso Deus pai. A humanidade esta se tornando uma humanidade cruel que não tem o amor no coração. A humanidade esta se destruindo e destruindo a terra. A humanidade esta deixando de ser uma humanidade pura e pacificar. A humanidade esta destruindo as obras de artes que nosso Deus pai fez na terra. A humanidade é a umas das obras de artes que esta se destruindo e destruindo as outras obras de artes. A humanidade esta indo no caminho da escuridão da destruição. A humanidade esta caindo na sedução e ilusão do seu inimigo que se chama Diabo. A humanidade esta cega. O Diabo esta cegando a humanidade com riquezas e poder, etc.A humanidade não esta nem ai com o amor do nosso Deus pai. A humanidade não acredita em Deus pai.

Um dos efeitos imediatos da queda foi a separação da humanidade e de Deus. No Jardim do Éden, Adão e Eva tinham perfeita comunhão com Deus. Quando se rebelaram contra Ele, essa comunhão foi quebrada. Adão e Eva se tornaram conscientes do seu pecado e ficaram envergonhados. Tentaram se esconder (Gênesis 3:8-10) e o homem tem se escondido de Deus desde então. Somente através de Cristo pode essa comunhão ser restaurada porque nele nos tornamos justos e sem pecado aos olhos de Deus, assim como Adão e Eva eram antes de pecar. "Àquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus" (2 Coríntios 5:21).

Por causa da Queda, a morte tornou-se uma realidade e toda a criação está sujeita a ela. Todos os homens morrem, todos os animais morrem, toda a vida vegetal morre. "Toda a criação geme" (Romanos 8:22), esperando o momento em que Cristo voltará para libertá-la dos efeitos da morte. Por causa do pecado, a morte é uma realidade inescapável, e ninguém está imune. "Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor" (Romanos 6:23). Pior ainda, não só morremos, mas, se morrermos sem Cristo, experimentamos a morte eterna.

Um outro efeito da Queda é que os humanos perderam de vista a finalidade para a qual foram criados. O propósito principal do homem e o maior objetivo na vida é glorificar a Deus e desfrutar dele para sempre (Romanos 11:36, 1 Coríntios 6:20, 1 Coríntios 10:31, Salmo 86:9). Portanto, o amor a Deus é a essência de toda moralidade e bondade. O oposto é a escolha de si mesmo como o ser supremo. O egoísmo é a essência da Queda e o que segue são todos os outros crimes contra Deus. De todas as formas, o pecado é voltar-se a si mesmo, o que é confirmado na forma como vivemos nossas vidas. Chamamos a atenção para nós mesmos e nossas boas qualidades e realizações. Minimizamos os nossos defeitos. Buscamos favores especiais e oportunidades na vida, querendo uma vantagem extra que ninguém mais tem. Exibimos vigilância por nossos desejos e necessidades enquanto ignoramos os dos outros. Em suma, nós nos colocamos no trono de nossas vidas, usurpando o papel de Deus.

Quando Adão escolheu rebelar-se contra o seu Criador, ele perdeu a sua inocência, incorreu a pena da morte física e espiritual, e sua mente foi obscurecida pelo pecado, assim como as mentes de seus sucessores. O apóstolo Paulo disse dos pagãos: "E assim como eles rejeitaram o conhecimento de Deus, Deus, por sua vez, os entregou a um sentimento depravado" (Romanos 1:28). Ele disse aos Coríntios que "o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus" (2 Coríntios 4:4). Jesus disse: "Eu, que sou a luz, vim ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas" (João 12:46). Paulo lembrou aos Efésios: "pois outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor; andai como filhos da luz" (Efésios 5:8). O propósito da salvação é "para lhes abrir os olhos a fim de que se convertam das trevas à luz, e do poder de Satanás a Deus, para que recebam remissão de pecados e herança entre aqueles que são santificados pela fé em mim" (Atos 26:18).

A Queda produziu no homem um estado de depravação. Paulo falou daqueles "cujas consciências estão cauterizadas" (1 Timóteo 4:2) e aqueles cujas mentes estão espiritualmente escurecidas como resultado de rejeitar a verdade (Romanos 1:21). Neste estado e longe da graça divina, o homem é absolutamente incapaz de fazer ou escolher aquilo que é aceitável a Deus. "Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem em verdade o pode ser" (Romanos 8:7).

Sem a regeneração sobrenatural do Espírito Santo, todos os homens permaneceriam em seu estado caído. Entretanto, na sua graça, misericórdia e bondade, Deus enviou o Seu Filho para morrer na cruz e tomar sobre Si a penalidade do nosso pecado, reconciliando-nos com Deus e possibilitando a vida eterna com Ele. O que foi perdido na Queda é recuperado na Cruz.

O Amor de Deus pela Humanidade

Deus sempre vai ama os seus filhos e filhas. Poderíamos dizer que o amor de Deus não tem limites.

Todos nos pecamos contra o amor do nosso Deus pai. O pecado nos separa de Deus pai e não há nada que possamos fazer para reparar essa separação. Contudo, Deus nos ama. Seu amor não depende de nós, pois não podemos fazer por merecê-lo. Ele nos ama apesar de nossa natureza pecadora. Ele ama os que não O amam. Ele ama todos nós “venha o que vier”. Não significa que ame tudo que fazemos, mas nos ama. Na verdade, ama tanto a humanidade que tornou possível que a separação criada pelos nossos pecados e erros fosse superada pela morte abnegada de Seu Filho, Jesus. Apesar de sermos pecadores, Deus, por causa do Seu amor por nós, fez com que fosse possível nos reconciliarmos com Ele.

Deus nos ama não porque somos quem somos, mas porque Ele é quem é. É o criador de tudo e de todos. É o Todo-poderoso e sabe todas as coisas. Mesmo assim nos ama. Na verdade, não apenas a nós, não apenas os cristãos que valorizam o grande sacrifício que fez ao dar Seu único Filho para morrer por nós, mas Deus ama da mesma forma e incondicionalmente cada pessoa no mundo inteiro. Já nos amava mesmo antes de acreditarmos nele, antes que O amássemos. Ama inclusive aqueles que jamais ouviram a Seu respeito. Ama incondicionalmente inclusive os que O odeiam, ama essas pessoas incondicionalmente. O amor de Deus está além da compreensão. É perfeito. É incondicional.

O fundamental para nós, cristãos, ao procurarmos assistir àqueles com quem temos contato em necessidades, sejam elas físicas ou espirituais, é entender que cada pessoa é preciosa para Deus, indiferentemente da sua idade, raça, nacionalidade, aparência física, status econômico, crença religiosa, afiliação política ou orientação sexual. Nada disso importa. Todos são amados por Deus. Ele ama o mendigo na rua tanto quanto ama o homem mais rico no mundo.

Deus nos pede que valorizemos cada indivíduo, que vejamos a humanidade pelos Seus olhos de amor, o que significa que devemos olhar para os outros sem preconceitos, ou discriminação. Ao adotarmos a perspectiva de Deus e vermos os outros como Ele os vê, evitamos estereótipos ou nos considerarmos melhores que os demais.

Não temos de gostar de todos cujas crenças, maneira de viver ou escolhas sejam diferentes das nossas. Talvez não concordemos com eles. É possível que não respeitem os padrões morais de Deus e até cometam pecados graves, mas qualquer que seja o estado em que se encontram, Deus os ama. “Ele faz que o Sol se levante sobre maus e bons, e envia chuva sobre justos e injustos.

Cada pessoa no planeta é uma criação de Deus, assim como nós, e Deus ama a todos tanto quanto nos ama. Somos iguais aos olhos de Deus.

Jesus disse que os dois mandamentos mais importantes são amar Deus e amar os outros. Quando lembramos que as Escrituras dizem que todo ser humano é feito à imagem e semelhança de Deus, que o amor é de Deus, que Deus é amor e que Ele nos ama a todos, o maravilhoso amor de Deus torna-se nossa medida padrão. É um exemplo de como devemos amar os outros. Quando adotamos essa referência, entendemos que devemos procurar refletir os atributos divinos de amor, compaixão e misericórdia, como Jesus fez.

Somos instruídos a deixar nossa luz brilhar para que outros vejam nossas boas obras e glorifiquem a Deus. Essa é uma convocação expressa de Deus para refletirmos Ele em nossas interações. É uma chamada para imitarmos a Ele, tratarmos os outros com amor, compaixão e misericórdia. Somos chamados para sermos condutores do Seu belo e incondicional amor. Isso, como muitas outras coisas no caminho do discipulado, muitas vezes implica em algum sacrifício. Contudo, não é nada em comparação com o sacrifício que Jesus fez por nós.

Esta história emocionante ilustra bem isso:

Liz sofria de uma doença rara e grave. Sua única chance de recuperação era uma transfusão de sangue de seu irmão de cinco anos, que, milagrosamente, havia sobrevivido ao mesmo mal e desenvolvido os anticorpos necessários para combater a doença.

O médico explicou a situação ao menino e lhe perguntou se estava disposto a doar sangue para a irmã. O menino hesitou um momento, respirou fundo e disse: “Sim. Se for salvá-la, sim.”

Durante a transfusão, deitado ao lado da irmã, sorriu ao ver o rosto da irmã corar. Então o rosto do garoto empalideceu e ele perguntou ao médico com a voz embargada: “Eu vou começar a morrer agora mesmo?”

O pequeno entendera mal o médico. Pensou que doaria todo seu sangue para salvar a irmã.

Que lindo e terno exemplo de amor! A Bíblia diz, “Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós. E devemos dar a nossa vida pelos irmãos.]

Tiago, irmão de Jesus, expressou que a verdadeira prática da nossa fé consiste de atos exteriores e interiores. Os exteriores se voltam para os outros de formas práticas, enquanto os interiores têm a ver com nossa devoção a Deus. Ele disse: “A religião pura e imaculada para com nosso Deus e Pai é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições, e guardar-se incontaminado do mundo.”

A manifestação da fé não é apenas uma atividade interior. Somos chamados para expressar o que acreditamos pelas nossas ações que remetem a Cristo, que lembram as Suas ações. Esse chamado é para sacrificar o tempo que usaríamos para nós mesmos, doando-os para os outros. É abrir mão de planos para ajudar os outros em necessidade. É viver nossa fé ao fazer intencionalmente coisas para o benefício dos que precisam.

 “Para o cristão ativo, o Cristianismo representa fé e ação. Passa tempo com Deus em oração, estuda as Escrituras com devoção, participa na igreja e ministra divulgando a Boa Palavra.”

 “No céu, Deus não dirá: ‘Fale-me de sua carreira, da sua conta bancária, dos seus hobbies.’ Ele vai avaliar como você tratou os outros, em especial os que padeciam necessidade.”

Jesus deu o exemplo do conceito de “ser ativo”. Ele constantemente demonstrou amor pelos outros. Sentiu compaixão por outros em necessidade. Alimentou os famintos e curou os doentes. Lutou contra o mal e a injustiça. Lutou contra o Diabo no deserto.

Disse Jesus: “Em verdade vos digo que, quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.”] Façamos tudo ao nosso alcance para sermos exemplos tangíveis do amor por Deus para a humanidade, segundo a Sua orientação para compartilharmos Deus e Seu amor com os que precisam —espiritualmente, apresentando-lhes Jesus; e de forma prática, ministrando às suas outras necessidades.

Amem!!