Aldo Pereira

Não "fuja" dos sofrimentos.

Por Aldo Pereira há 1 semana

A existência espiritual é um eterno caminhar. Desde que nasce, simples e ignorante, o ser caminha pelas estradas da vida espiritual buscando o conhecimento que o aproximará cada vez mais do Pai. Às vezes caminha pelo caminho “estreito”, mas muitas vezes se deixa levar pelo caminho “largo” ao qual Jesus já se referiu em outro ensinamento. No entanto, como no ensinamento conhecido como “Pegadas na Areia”, sempre a espiritualidade, comandada pelo Pai, estará perto para auxiliar. Este auxílio é a “porta” que Jesus fala. Em qualquer caminho que esteja o ser, sempre haverá uma porta que pode facilitar o seu trajeto rumo à elevação.

Estas portas são aquelas situações consideradas pelos seres encarnados como negativas ou “más”. O ser foge destas portas, evitando-as, quando deveria bater pedindo que elas se abrissem.

Todos os acontecimentos negativos da vida de um ser são ensinamentos profundos que o Pai lhe manda. Ficar sofrendo, sentindo-se vítima de injustiças, não permite que se compreenda o ensinamento. É o mesmo que passar pela “porta” sem bater. Fugir da situação, não encarar os problemas, também é passar direto sem bater pela porta que Deus colocou no seu caminho. Bater na porta é encarar as situações negativas de frente, vivendo a situação sem sofrimento, buscando compreender o ensinamento que está recebendo do Pai. Para viver sem sofrimentos o ser deve analisar-se sem agir como seu próprio advogado de defesa ou acusação. Sem preconceitos e conhecedor dos atributos divinos, deve o ser começar toda a sua análise sabendo que a justiça está sendo feita com base em um Amor Sublime. Aqueles que assim procederem, receberão, como nos garante o Mestre. Mas receberão o quê? Um novo caminho. Quando a porta se abrir, um novo caminho será aberto para ser trilhado e este será o resultado para quem, ao invés de fugir ou sofrer, encarar as situações sem sofrimento. O resultado da análise sem autodefesa será guiado pelo Pai e resultará em uma nova compreensão dos fatos, tornando-se um novo caminho para o espírito. Porém, bater na porta não significa que, ao abrir, o ser entrará. Ninguém o colocará para dentro, pois para que isto aconteça é preciso que ele próprio cruze a soleira. Entrar pela porta é a aceitação do resultado da auto-análise. É muito comum o ser fechar a porta que se abriu, ou seja, não aceitar o resultado, protegendo-se e criando falsas verdades que destroem o resultado da análise.

Este é o caminho “largo” e mais uma chance concedida por Deus foi perdida. Mais uma vez outra porta será colocada no caminho para que este espírito bata ou não, entre ou não...

Por isto o título convite desta mensagem: ENTRE.

Sempre que uma porta aparecer em sua vida, bata nela bem forte. Abrace o “sofrimento”, encarando-o de frente, sem sofrer. Busque compreender todos os aspectos envolvidos na situação. Procure analisar todo o acontecimento como se estivesse fora dele. Retire as “verdades” individuais e tente ver as coisas também a partir da visão dos outros. Isto o levará a passar pela porta que se abrirá...

Estive preso ao processo de reencarnações para provas e expiações durante longos anos. Foram centenas de encarnações onde milhares de portas foram colocados no meu caminho. Preferi fugir da situação agredindo o causador ou o próprio Deus.

Quantas vezes gritei aos céus e aos deuses da minha época que não merecia o que estava acontecendo. Em diversas destas vidas cheguei a negar o Pai porque sempre me imaginava com a razão!

Hoje, revendo estas portas que não bati compreendo como a sabedoria divina é perfeita. Todas as vezes que uma porta apareceu, posso ver hoje, havia nela um caminho que encurtaria em muito a minha elevação.

Tive que passar por tudo e Deus não tem culpa disso: o único responsável pelo meu trajeto fui eu mesmo. Não compreendia que o Pai colocava aquelas portas como uma forma de me ajudar e preferia manter-me firme naquilo que acreditava ser a verdade.

Agora tenho a oportunidade de aqui vir para poder deixar esta palavra: ENTRE. Não fuja de seus sofrimentos, não perca tempo querendo provar a Deus que você está com a razão...

Somos seres um busca de evolução e não da perfeição. Como ensinou o Mestre, o empregado não pode querer ser igual ao patrão...

Lucius.

Espiritualismo Ecumênico Universal